Publicidade

POLICIAIS-- CARIRI-- CEARÁ-- POLÍTICA-- NACIONAL--

Empresário foi assassinado em Juazeiro do Norte


 por
 
Os tiros penetraram pela janela lateral do carro e pelo para-brisas. (Foto: VC Repórter)
Juazeiro do Norte. O empresário Francisco Pereira da Silva foi assassinado, na manhã deste sábado (14), na Avenida Leandro Bezerra de Menezes – no Anel Viário. Segundo testemunhas, ele seguia no sentido Juazeiro – Crato, dirigindo seu veículo, modelo Land Rover na cor prata, quando outro carro se aproximou e efetuou os disparos.
Os tiros penetraram pela lateral do veículo e pelo para-brisas, atingindo o empresário, que seguia ao volante. A vítima perdeu o controle do carro, que desceu no barranco, parando a 50 metros da rodovia. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência foi até o local, mas Francisco já estava morto. A Perícia esteve no local. Este é 54º homicídio na Terra do Padre Cícero. O terceiro no mês de julho.

A vítima perdeu o controle e veículo caiu no barrando, ao lado da rodovia. (Foto: VC Repórter)
O empresário Francisco Pereira da Silva era proprietário da FP Construções e Empreendimento Imobiliários, que possui uma série de terrenos em Juazeiro do Norte e Crato e foi responsável pela construção de muitos loteamentos na Terra do Padre Cícero. No entanto, a empresa está envolvida em alguns processos jurídicos.
ACP
Em janeiro deste ano, o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) propôs uma Ação Civil Pública com pedido de Medida Liminar para reparo d danos materiais e morais sofridos por centenas de consumidores que firmaram contrato de compra e venda de terrenos, no Loteamento Conviver Juazeiro VII. Em alguns casos, os imóveis residenciais já haviam sido construídos.
Segundo o MPCE, a FP Construções e Empreendimentos Imobiliários junto da AG Imobiliária e Julierme Teles Alves criaram um negócio jurídico sem previsão legal, que se assemelhou a uma venda em pirâmide. A AG Imobiliária transferia a posse dos lotes para pessoas físicas ou jurídicas, denominadas “clientes construtores”, que, por sua vez, os revendia a terceiros com a promessa de construir casas nos terrenos.
No entanto, a construção das casas dependia do pagamento fornecidos pelos consumidores lesados. Embora os consumidores tenham efetuado entrega o dinheiro, as residências não foram construídas, assim como existia lote com promessa mais de um comprador.
Diocese
Além disso, FP Construções e Empreendimentos Imobiliários trava uma batalha judicial com a Diocese de Crato, desde 2011. A disputa gira em torno de um terreno próximo à divisa de Crato e Juazeiro do Norte, originalmente propriedade do Padre Cícero. A Igreja alega que o padre Murilo de Sá Barreto, falecido em 2005, vendeu, no final dos anos 1990, parte da área imobiliária no valor de R$ 200 mil e o restante deveria ter continuado na posse da Igreja. No local, há o loteamento Sítio Vila Real II, que mede 746.000 m². Em 2002, uma procuração assinada por padre Murilo e registrada em cartório, deu plenos poderes para Francisco Pereira vender as terras.